O medo no relacionamento abusivo

O MEDO NO RELACIONAMENTO ABUSIVO

O medo é um sentimento muito vivenciado num relacionamento abusivo. O medo parece algo inexplicável, muitas vezes, não consegue identificar de onde vem, mas sabe que acarreta dor, fragilidade emocional, instabilidade e vem aquela insegurança que parece que te paralisa.

Quando se tem a percepção de que está aceitando algumas situações mesmo que não concorde e não queira, e aí que o medo do abandono se instaura, esse sentimento de medo de ser abandonado alimenta ainda mais o ciclo abusivo.

Quando ao abusador percebe esse medo, vem com uma grande manipulação, pois percebe que a vítima está presa nessa dinâmica, refém dessa relação perturbadora e tóxica.

Esse medo do abandono faz a vítima pedir desculpa por tudo, mesmo que não tenha feito algo para esse pedido de desculpa, pois se assim não o faz, se sentirá mais culpada ainda. Isso ocorre porque a vítima já não aguenta mais tantas discussões sem motivo e muitas vezes vinda com ameaças.

Para reconhecer esse medo do abandono é fundamental o processo terapêutico para trabalhar essa ferida emocional.

Será que tem uma ferida do abandono dentro de si que foi pouco olhada?

Afinal quem cuida da mente, cuida da vida!

Paula Freitas

Psicóloga, psicoterapeuta de casal e terapeuta sexual

WhatsApp – 11 98313 2371

WhatsApp:

paulafreitaspsicologa@gmail.com

@paulafreitaspsicologa

@relacionamentoabusivopsi

#paulafreitaspsicologa #relacionamentospsicologia #insightpsique #terapeutasexual #psicologaonline #psicoterapeutadecasal #psicoeducação #dificuldadesnosrelacionamentos #conflitosnosrelacionamentos #narcisista #relacionamentoamoroso #fimdorelacionamento #separação #sexualidade #relacionamentoabusivo #relacionamentoabusivopsi

Principais doenças sexualmente transmissíveis

AS PRINCIPAIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

Todas DST (doenças sexualmente transmissíveis) são transmitidas por meio de contato sexual.

A pessoa infectada transmite a DST para parceiro, principalmente quando acontece penetração sendo vaginal ou anal.

As doenças mais importantes são:

  • AIDS: o vírus HIV pode ser transmitido através da prática sexual, transfusão de sangue, contato direto com secreção contaminada, placenta da mãe grávida para o feto.
  • Clamídia: doença infectocontagiosa aos órgãos genitais masculino ou feminino, transmitida através da relação sexual.
  • Herpes genital: infecção recorrente causada por um vírus, transmitida por relação sexual, roupas íntimas.
  • Gonorreia: doença infectocontagiosa que atinge o organismo e é transmitida pela relação sexual.
  • Papiloma vírus humano: infecção causada, por um grupo de vírus, transmitida pelo contato entre os órgãos genitais.
  • Tricomonas: infecção dos órgãos sexuais e do aparelho urinário do homem ou mulher, transmitida através da relação sexual.
  • Sífilis: depois da AIDS é a doença sexualmente transmissível mais perigosa, é doença infectocontagiosa por relação sexual, transfusão de sangue contaminado e placenta (de mãe para filho).

Para evitar qualquer DST é fundamental usar sempre camisinha.

Afinal quem cuida da mente, cuida da vida!

Paula Freitas

Psicóloga, psicoterapeuta de casal e terapeuta sexual

WhatsApp – 11 98313 2371

WhatsApp:

paulafreitaspsicologa@gmail.com

@paulafreitaspsicologa

@relacionamentoabusivopsi

#paulafreitaspsicologa #relacionamentospsicologia #insightpsique #terapeutasexual #psicologaonline #psicoterapeutadecasal #psicoeducação #dificuldadesnosrelacionamentos #conflitosnosrelacionamentos #narcisista #relacionamentoamoroso #fimdorelacionamento #separação #sexualidade #relacionamentoabusivo #relacionamentoabusivopsi

O que transmitir aos jovens sobre sexualidade?

O QUE TRANSMITIR AOS JOVENS SOBRE SEXUALIDADE?

Os pais têm um papel importante de transmitir conhecimento e orientações para os filhos, incluindo na sexualidade.

É fundamental falar sobre 3 fatores antes que os jovens iniciem a vida sexual, que são:

  • Preparação: estar preparado para dar esse passo tão importante, tomando sua decisão de maneira consciente com toda informação possível.
  • Parceiro: escolher o parceiro criteriosamente, o ideal seria uma pessoa que tenha vínculo positivo, proximidade e já uma intimidade antes da primeira relação sexual.
  • Prevenção: usar sempre camisinha, falar também de outros métodos anticoncepcionais.

Os pais devem transmitir seus conhecimentos com base no respeito, amor, carinho, sem preconceitos.

Afinal quem cuida da mente, cuida da vida!

Paula Freitas

Psicóloga, psicoterapeuta de casal e terapeuta sexual

WhatsApp – 11 98313 2371

WhatsApp:

paulafreitaspsicologa@gmail.com

@paulafreitaspsicologa

@relacionamentoabusivopsi

#paulafreitaspsicologa #relacionamentospsicologia #insightpsique #terapeutasexual #psicologaonline #psicoterapeutadecasal #psicoeducação #dificuldadesnosrelacionamentos #conflitosnosrelacionamentos #narcisista #relacionamentoamoroso #fimdorelacionamento #separação #sexualidade #relacionamentoabusivo #relacionamentoabusivopsi

A influência dos pais na sexualidade dos filhos

A INFLUÊNCIA DOS PAIS NA SEXUALIDADE DOS FILHOS

Os pais têm a responsabilidade de orientar seus filhos, respondendo suas dúvidas sobre sexualidade, com a verdade, mas respeitando o entendimento do seu filho de acordo com sua faixa etária, focando na dúvida sem ir além do que foi perguntado.

O diálogo assertivo, produtivo e franco sem preconceitos é a chave para uma vida sexual segura dos jovens.

Caso não saiba responder a dúvida, seja sincero: “Isso eu não sei, mas vou estudar e pesquisar para assim voltarmos a falar sobre isso”.

A relação de afeto entre os pais será um exemplo para os filhos, esse referencial poderá ser positivo ou negativo. A criança que presencia situações de carinho entre os pais e com ela, terá mais chances de se tronar um adulto bem-resolvido sexualmente. Mas o inverso também acontece, pois quando a criança presencia hostilidade, retaliações, intimidações, vê a mãe como figura reprimida e assim tenderá a ter bloqueios e mais dificuldades em viver a sexualidade plenamente.

Afinal quem cuida da mente, cuida da vida!

Paula Freitas

Psicóloga, psicoterapeuta de casal e terapeuta sexual

WhatsApp – 11 98313 2371

WhatsApp:

paulafreitaspsicologa@gmail.com

@paulafreitaspsicologa

@relacionamentoabusivopsi

#paulafreitaspsicologa #relacionamentospsicologia #insightpsique #terapeutasexual #psicologaonline #psicoterapeutadecasal #psicoeducação #dificuldadesnosrelacionamentos #conflitosnosrelacionamentos #narcisista #relacionamentoamoroso #fimdorelacionamento #separação #sexualidade #relacionamentoabusivo #relacionamentoabusivopsi

O que é “normal” no s3xo?

O QUE É “NORMAL” NO SEXO?

Normal! É algo tão relativo, pois o que pode ser considerado para uma pessoa, pode não ser para outras.

Pensando na sexualidade do casal, o chamado “normal” é a vida sexual que eles praticam e como se sentem, ou seja, o ideal é o casal  estar sempre em busca de novos ajustamentos quando necessário quanto a frequência, forma, convivência e intimidade do casal.

Quando algo desagrada um dos parceiros, deve ser bem conversado, pois não podemos e nem devemos fazer algo simplesmente para agradar o outro.

A ausência ou a precariedade desse diálogo sexual pode afetar o casal e também vários campos da vida, como o profissional, pessoal ou social.

Caso isso esteja ocorrendo é fundamental procurar terapia sexual ou de casal.

Afinal quem cuida da mente, cuida da vida!

Paula Freitas

Psicóloga, psicoterapeuta de casal e terapeuta sexual

WhatsApp – 11 98313 2371

WhatsApp:

paulafreitaspsicologa@gmail.com

@paulafreitaspsicologa

@relacionamentoabusivopsi

#paulafreitaspsicologa #relacionamentospsicologia #insightpsique #terapeutasexual #psicologaonline #psicoterapeutadecasal #psicoeducação #dificuldadesnosrelacionamentos #conflitosnosrelacionamentos #narcisista #relacionamentoamoroso #fimdorelacionamento #separação #sexualidade #relacionamentoabusivo #relacionamentoabusivopsi

O que aprendemos na infância interfere na sexualidade?

O QUE APRENDEMOS NA INFÂNCIA INTERFERE NA SEXUALIDADE?

O que escutamos sobre sexualidade no decorrer da nossa vida interfere no passado, presente e futuro.

O que aprendemos fica arquivado em nossa memória através das raízes culturais tão marcantes.

Os meninos são estimulados a terem orgulho do seu órgão genital como um verdadeiro troféu. Já com as meninas acontece o contrário, elas são estimuladas a esconder seu órgão genital, fechar as pernas para não aparecer a calcinha e quando são vistas se tocando são desencorajadas e até mesmo punidas.

Crescendo com essa educação sexual, com esses tabus, torna-se uma queixa muito recorrente na vida adulta da maioria das mulheres, o desconhecimento do seu próprio corpo, a falta de desejo e a vivência sexual sem prazer.

A terapia sexual auxilia para entender muitos tabus e crenças limitantes carregadas por tanto tempo.

Afinal quem cuida da mente, cuida da vida!

Paula Freitas

Psicóloga, psicoterapeuta de casal e terapeuta sexual

WhatsApp – 11 98313 2371

WhatsApp:

paulafreitaspsicologa@gmail.com

@paulafreitaspsicologa

@relacionamentoabusivopsi

#paulafreitaspsicologa #relacionamentospsicologia #insightpsique #terapeutasexual #psicologaonline #psicoterapeutadecasal #psicoeducação #dificuldadesnosrelacionamentos #conflitosnosrelacionamentos #narcisista #relacionamentoamoroso #fimdorelacionamento #separação #sexualidade #relacionamentoabusivo #relacionamentoabusivopsi